loader
banco de dados Firebird

Alcance alta performance com o banco de dados Firebird

Se você está tendo dificuldade para alcançar alta performance em sua aplicação por meio do banco de dados Firebird, está na hora de aprender a diagnosticar de onde pode estar surgindo este problema e como resolvê-lo.

Para te ajudar neste processo, convidamos o especialista DBA em Firebird e parceiro da SaveinCloud, Edson Gregório, fundador da comunidade Meu Querido Firebird, para compartilhar sua experiência em nossa plataforma e contribuir com dicas de ferramentas essenciais que podem otimizar o seu banco de dados Firebird.

banco de dados Firebird

Com três anos e oito meses de produções para o canal do YouTube Meu Querido Firebird, Edson Gregorio atualmente oferece consultorias, cursos e atendimento pessoal. Mas antes de conquistar toda esta experiência, foi necessário buscar por um serviço em nuvem para colocar o banco Firebird e realizar divulgações em seu canal, e este primeiro passo foi fundamental para garantir diferentes aprendizados.

Segundo Edson, migrar o servidor para a SaveinCloud é muito vantajoso, por conta da praticidade, variedade de recursos disponíveis e técnicas que podem tornar o seu Firebird mais rápido e adequado para o servidor que você vai utilizar. 

O especialista afirma que uma das principais questões que o motivou a procurar por um serviço em nuvem foi justamente encontrar problemas de performance. “Eu sempre falo que existe muita possibilidade de ter performance com Firebird e a maioria dos casos que eu vi ao longo do tempo foi que o problema de performance normalmente está na forma de escrita”, relata Edson.

Para localizar problemas de performance, Gregório relata a necessidade de enfrentar a latência da internet, pois colocar o servidor na nuvem faz com que você aprimore o seu sistema para que ele fique rápido independente da condição que esteja, seja servidor local ou nuvem. 

De acordo com o especialista, uma das coisas que o ajudou a escolher a SaveinCloud foi justamente por ser a única empresa que, do seu ponto de vista, deu atenção de fato para os usuários Firebird. É importante ressaltar que a maior comunidade Firebird no mundo fica no Brasil e até então outros servidores em nuvem, aponta o especialista, não oferecem auxílio em relação a configuração de servidor. 

“Eu sou DBA Firebird, trabalho mais com Windows e não sei técnicas de configuração de Fire. A gente sempre tem como base a AWS, um serviço que é completo, tem servidores em São Paulo assim como a SaveinCloud, porém o problema da AWS na minha opinião é principalmente a curva de aprendizado que é muito grande”. 

Confira também: Como configurar backup dos bancos de dados Firebird  

Edson comenta que com a plataforma da AWS é necessário configurar não só o Fire do sistema operacional, mas também toda a configuração de criação do sistema operacional e configuração da rede – fora na interface da AWS – que tem mais uma série de configurações para fazer. Outro ponto levantado pelo especialista é em relação ao controle financeiro, se você ultrapassar o limite que foi acordado na hora que criou o ambiente pode tomar um susto porque só terá acesso aos valores depois.

Na SaveinCloud, a interface gráfica que tem no painel web é muito simples de utilizar, você consegue rapidamente mesmo sem seu usuário fazer tudo via interface. Em seus testes em nossa plataforma, Edson aborda de forma positiva a facilidade de construir um ambiente rápido para Firebird.

A facilidade foi o que me ganhou na SaveinCloud. É impressionante porque em poucos cliques você escolhe a versão que quer e aguarda alguns minutos para realizar toda configuração do ambiente com sistema operacional instalado, Fire configurado, FTP configurado para que possa enviar seu banco de dados facilmente, fazer qualquer tipo de criação de arquivo firebird.com, achei muito vantajoso tudo isso”, afirma o especialista.

Além da vantagem em garantir alta performance com a SaveinCloud, você também pode criar diferentes estratégias para certificar a economia do seu negócio. A nossa plataforma funciona em modelo Billy, pagamento pelo uso e consumo através de carregamento ou recarga, que permite consumir aos poucos sem necessidade de vincular um cartão de crédito; com o custo em reais, é proporcionando maior tranquilidade ao cliente, que não ficará exposto às oscilações do dólar.

Se você optar, por exemplo, em configurar um SQL Server, dependendo da configuração, colocá-lo numa máquina que tem 128GB de Ram vai utilizar 128GB de Ram porque ele explora o máximo de memória possível. O Firebird tem uma outra configuração, ou seja, essa especificação de pagar pelo que você usa. O SQL Server vai estar utilizando sempre todo o recurso da máquina, então você não tem uma oscilação de preço. Com o Firebird, dependendo da configuração que você utiliza – arquitetura Classic ou Super Classic –  consegue desalocar memória cada vez que os usuários se desconectam. Se ele desaloca a memória, o seu consumo de servidor vai diminuir porque durante o horário de pico tem mais utilização; usa mais hardware; mas no horário fora de pico tem menos utilização. Essa é uma possibilidade que não está disponível na AWS, como o próprio Edson Gregório pôde atestar durante a execução da configuração do seu ambiente Firebird. 

Quando se refere ao SQL, em nossa plataforma você também consegue configurar para utilizar mais memória ou menos memória. A equipe técnica da SaveinCloud recomenda sempre que no SQL você jogue mais processamento utilizando memória para que a utilização seja mais ágil; sem contar que fazendo esta escolha normalmente é mais barato do que o uso do CPU. Agora, quanto ao Firebird, o próprio Edson Gregório afirma: “A escalabilidade fica muito mais simples e traz uma economia muito grande no final do mês comparado com os outros players”.

Segurança e velocidade para sua aplicação

Em nossa plataforma, como o Fire já vem configurado e permite acessar a porta do Firebird, que inclusive não é a porta 3050, e sim uma porta que ele já coloca de forma aleatória –  uma porta alta – portanto, torna seu sistema muito mais seguro visto que não é a mesma porta para todos os ambientes. Cada ambiente que você cria gera uma porta aleatória automaticamente e é encaminhado para a porta 3050. Vale lembrar também que todos os ambientes da SaveinCloud contemplam um backup full diário com retenção de 7 dias, sem custos, garantindo ainda mais segurança para a sua aplicação.

Durante os anos de parceria, Edson Gregório testou nossa plataforma em seu canal Meu Querido Firebird, com a ferramenta Delphi que faz a execução de consultas nos ambientes, mostrando quais critérios e componentes foram utilizados para gerar os resultados. Entre os testes realizados, um deles foi comparando os dois ambientes AWS e SaveinCloud, onde você pode conferir abaixo.  

Durante o teste, Edson Gregório utilizou rede wi-fi, executou várias consultas e execuções utilizando o mesmo tipo de componente e critério para os dois ambientes em simultâneo; no mesmo dia; rede de internet e computador. Segundo o especialista, por estarem um do lado do outro não houve nenhum tipo de prejuízo considerável para nenhum dos lados. 

Algumas vezes a SaveinCloud conseguiu ter uma velocidade ainda melhor do que a AWS, poucas vezes ali a AWS conseguiu uma velocidade um pouquinho maior, mas é tão insignificante a diferença que não dá para considerar porque foi de milissegundos em relação a cada execução, algumas vezes para mais outros para menos, ficou bem equilibrado em relação à velocidade”, disse Gregório.

Benefícios da replicação de banco de dados Firebird

Segundo o especialista DBA em Firebird, esse é um dos principais motivos que as pessoas precisam de um banco de dados em nuvem, visto que permite você colocar o seu banco e acessar diretamente no servidor nuvem. 

“Imagina que o seu cliente não quer abrir mão de ter o seu servidor local, só que ao mesmo tempo deseja ter algum backup de segurança caso aconteça sequestro, invasão do servidor, corrupção de base, algo que pode acontecer se a pessoa não tem uma redundância de energia – o que é presente no servidor em nuvem mas local geralmente não tem – a pessoa acaba optando por ter uma cópia quase em tempo real do seu banco de dados porque qualquer prejuízo que tenha no local você não tem muita coisa perdida”, confirma Gregório.

Para realizar esse procedimento em nossa plataforma, basta colocar uma replicação a cada um minuto ou a cada 30 segundos e nesse caso para executar do local para a nuvem é só enviar os arquivos de alterações usando o próprio FTP da SaveinCloud.

Outra possibilidade também que é interessantíssima é acessar os seus dados em qualquer lugar do mundo. Se você tem um servidor local, por exemplo, onde a loja está fazendo as vendas e você quiser replicar algumas informações que são interessantes para relatório, você pode ter acesso a alguns dados em nuvem através de uma aplicação separada proporcionada pela replicação do banco

Em relação a alta disponibilidade Edson Gregório afirma que em nossa plataforma com o Firebird é muito simples mudar o local que deseja se conectar. “Aconteceu qualquer tipo de problema no servidor local, quero apontar agora a minha aplicação para olhar para o banco de dados em nuvem, basta mudar o host, a porta e talvez a senha que você está utilizando para apontar para o servidor nuvem. A mesma coisa pode ser feita inclusive para fazer replicação entre dois ambientes que estão dentro da SaveinCloud, você pode ter um ambiente de produção e um ambiente que é a réplica que você pode copiar de um para o outro, fica inclusive rápido de fazer essa troca porque funciona dentro de uma rede local”, afirma o especialista. Você também tem a opção de escolher outras regiões visto que a SaveinCloud possui dois pontos de presença no Brasil sendo em Campinas/SP e Fortaleza/CE.

Garanta economia em sua aplicação por meio da replicação do banco de dados Firebird disponível na plataforma SaveinCloud. Teste grátis por 14 dias!