loader

Firebird SaveinCloud X AWS: Especialista avalia diferenciais

O mercado dispõe diversas soluções Cloud no dias de hoje. Fica até difícil escolhermos a melhor opção.

Por isso, a SaveinCloud convida o especialista DBA Firebird, Edson Gregório, fundador e criador da comunidade Meu Querido Firebird para realização de testes focados em velocidade e inserção de dados em tabelas, avaliando qual a melhor escolha,  SaveinCloud ou AWS

Para execução do teste, em ambas as plataformas, utilizamos o container no banco de dados com IP Público já configurado, os dois obtendo o mesmo sistema operacional e a quantidade de memória RAM de (1 GB). O primeiro teste é de velocidade.

A primeira observação realizada pelo especialista, é que em ambas as plataformas é possível conectar o SSH. Caso você precise, por exemplo, fazer a instalação de um aplicativo específico é possível conectar, configurando facilmente seu Linux.

Lá no Canal do YouTube da SaveinCloud você também pode conferir o conteúdo sobre como configurar e programar o backup do banco de dados Firebird, assista ao vídeo abaixo.

 

Teste de velocidade 

Começamos com o teste de velocidade, com dois SQL editor abertos, na AWS e SaveinCloud. Na AWS fizemos um select simples na tabela venda, que possui 112.000.00 registros tanto em um banco quanto no outro. Esta tabela também tem duas colunas: quantidade de item e valor total de item, que são campos calculados, ou seja, para cada registro que fizer – um feat nesse select – ele vai na venda/item busca o total, qual é a quantidade de itens e o total de valores. 

O select foi realizado duas vezes  para cada item de venda para forçar a máquina. A velocidade da internet é de 250 mg de download e upload, com a internet cambiada direto no roteador, portanto, não tem oscilação de wi-fi.  

No servidor da AWS, colocamos o título pra adicionar também o tempo de execução de cada uma dessas quers.

Execuções plataforma AWS 

00:03:151 

00:03:235 

Execuções plataforma SaveinCloud

00:03:234     

00:03:297

Resultado

Na maioria das vezes a média de tempo foi de 3 segundos e 200, tanto na SaveinCloud quanto AWS. Temos um tempo muito semelhante e existe uma razão para isso, afinal estamos falando de menos 100 milissegundos de diferença e esse tempo é insignificante.

Até mesmo o local se rodarmos várias vezes a mesma consulta pode demorar 16 milissegundos ou nada. É um número que pode variar bastante!

A razão para que as duas plataformas tenham a mesma velocidade é porque nossos dois servidores estão em São Paulo – tanto a AWS quanto a SaveinCloud – e esse parque de servidores é um só, portanto, todos estão em um mesmo espaço e o tempo pra chegar lá é o mesmo.

Você sabia?

A SaveinCloud tem seus servidores hospedados em dois pontos no Brasil. Na Ascenty Campinas-SP e também em Fortaleza-CE. Inclusive, na mesma estrutura que  a própria AWS, a qual estamos realizando o comparativo hoje.

Teste de inserção

Na tabela de vendas criamos uma tabela de vendas teste, para puxar os dados da tabela original para a nova tabela.

No DDL copiamos os dados e fizemos algumas alterações, entre elas o nome para tabela teste, além de tirarmos o campo calculável, pois para realizar o teste de inserção não é necessário. Nos primeiros campos físicos não é preciso realizar alterações.

Criamos esta tabela dentro do campo da SaveinCloud, compilamos e combinamos a transação, para em seguida copiar e realizar o mesmo processo na AWS

Também fizemos uma passagem dos dados da tabela vendas para tabela vendas teste, inserimos os dados do resultado do select um embaixo do outro. Dessa forma, aparece o resultado dos 112.000.00 registros que foi inserido na venda teste três vezes. A inserção foi de 112880 registros!

Inserções plataforma AWS

00:01:110

00:02:688

00:01:844

Houve um pouco de oscilação, mas não há nenhuma anormalidade no processo.

Inserções plataforma SaveinCloud 

00:01:31 

00:01:250 

00:01:94 

Resultado

A SaveinCloud tem um tempo menor na escrita de dados e sua plataforma possui  diferenciais que afetam diretamente neste resultado.

 

Diferenciais da plataforma SaveinCloud

Na sua interface é possível clicar nas ferramentas e explorar as pastas dentro do Linux. Por exemplo, se você quiser mudar uma roteirização do firebird.com consegue clicar e realizar as alterações com facilidade pois a interface auxilia muito. Na AWS só é possível ter esses acessos navegando no SSH, porém com a interface gráfica é muito mais prático e produtivo. 

A interface da plataforma SaveinCloud é separada, não pesa no servidor e tem automaticamente a escalabilidade configurada. No botão mudar ambiente da topologia, na plataforma SaveinCloud, você pode moldar a escalabilidade do seu servidor simples, variando a quantidade de MB para GB de memória. Essa é a variação automática que é ativada em apenas um clique e se torna escalável.

Outra dica é utilizar o banco de dados Firebird na versão Super Classic, pra que possa aproveitar a escalabilidade permitindo quando o servidor estiver ocioso, gaste menos dinheiro sem sair do sistema. Na AWS essa configuração é um pouco mais complexa. Quando você é um usuário avançado da AWS pode realizar esse processo com pouca dificuldade, mas para uma pessoa leiga que não tem tempo pra estudar o servidor a fundo é mais viável a plataforma SaveinCloud, que garante produtividade e economia.

Outra observação, na AWS conectado com a SSH é necessário fazer a configuração completamente manual do Firebird. Sendo um usuário leigo do Linux fazer a instalação do Firebird, configurar, baixar o banco de dados e fazer todo o processo pode levar uma média de 24 horas.

Na SaveinCloud acessando o marketplace, você escolhe a versão do Firebird que deseja, o nome do ambiente, nome em exibição e região. Em seguida, clique em instalar e o processo será finalizado. Não precisa fazer mais nada! Seu servidor ficará preparado, irá chegar um e-mail com os dados como IP, servidor, usuário, porta etc, informando pra você quando estiver pronto. A configuração demora poucos minutos.

Usando como exemplo, instalamos um container e ele veio com o Linux instalado, Firebird instalado e rodando, Fire configurado inclusive colocado em uma porta separada, para que não fique a 30/50 configurada de frente para a internet. 

Você pode ter uma configuração muito rápida da instalação Firebird, visto que não há nenhum serviço Lumi que dê este crédito ao Firebird de fazer a instalação de forma muito intuitiva. É possível minimizar, fechar a tela e continuar utilizando o ambiente enquanto o download acontece com uma pasta própria pra colocar um ou mais banco de dados.

Conclusão

A melhor opção para você é o Firebird da SaveinCloud. É muito mais fácil trabalhar, treinar sua equipe para desenvolvimento, e menos chances de manutenção. Além de conseguir prever e controlar seu investimento na nuvem, através do nosso painel intuitivo e dinâmico, trabalhamos com moeda nacional brasileira, o Real (R$), livre de oscilações cambiais.

A SaveinCloud é uma empresa brasileira e também, a principal representante da Virtuozzo na América Latina, sendo parceira cinco estrelas.

E o melhor de tudo? Possui uma comunidade, a  Tecguru, vinculada a ela, grupos de discussão e envio de conteúdos exclusivos para profissionais e empresas de tecnologia, gerando conhecimento e interação entre adoradores da tecnologia.

Já a AWS, possui uma variedade de funções, acaba exigindo mais tempo do profissional em análise e configuração. A cada nova configuração e ferramenta para implementação de projeto, é necessário também arcar com custos adicionais. No fim, sua conta fica muito maior no fim do mês e se precisar de suporte, ainda precisa pagar.

Ainda tem dúvidas se deve ou não experimentar a plataforma da SaveinCloud?
Teste GRÁTIS por 14 dias, clicando aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat